quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Post pré-ano novo.

A ideia é começar um ano novo melhor que o ano recém-acabado. Mas não quero fazer muitos planos. Planejar não basta, tem que fazer acontecer. Meu 2008 não foi nem de perto dos melhores, mas nada de reclamar. Hoje só quero pedir paz e serenidade, tranquilidade pra pensar sem se deixar influenciar por acontecimentos ambientais e minhas crises neuróticas.
Escrever muito é o que eu quero e é o que já está acontecendo. Muitas coisas surgindo. Ideias fluindo levemente. Algumas crises emocionais influenciando um pouco, mas escrever sempre ajuda.
Acho que 2009 será um ano muito diferente de qualquer outro. Me sinto preparada para outras coisas que pra muitas pessoas é muito simples, mas pra mim não costumava ser. Hora de abrir o coração e deixar fluir. Fazer fluir e acontecer, durar.
No momento, só quero escolher uma música pra tocar na hora que o ano estiver virando.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Do zero.

Meus projetos andam favoravelmente bem. Porém, alguns ajustes saíram do meu controle e eu resolvi fazer do zero. Perfeccionismo chato. Mas tô bem sem pressa pra começar, estou aguardando a pesquisa de campo. Mas lá se vai minha história toda virar um "documentário". O diferencial vai ser fazer não ficar com cara de documentário.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

A música e as sensações.

Não adianta tentar negar, a música da sua playlist revela exatamente o que você está sentindo. E mesmo que você tente dar uma enganada nos próprios sentimentos, a música vai também te enganar um pouquinho.
Ah... ok. To muito sentimental pra escrever sobre isso agora. Tipo... curtindo uma balada Love Hurts.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

!Pedaços!

Os meus lábios pedem seu toque
Sutil e Suave
Como se fosse o primeiro...
A minha língua pede seu toque
Agressivo e Selvagem
Como se tivesse a espera...

A minha pele pede o envolvimento
Mãos no pescoço que se contorcem
E se deixam envolver...
O meu ouvido pede suspiros
Boca na boca que não se abafam,
Apenas se encostam por prazer...

No momento sinto em mim um desespero!
Como posso sentir e não poder fazer nada?
Agora estou em pedaços porque sinto,
Sinto falta do que nunca tive...
Sempre deixo passar meses em branco no blog. É incrível como eu consigo ser menos impulsiva aqui. No Twitter eu sempre reclamo que não tem espaço suficiente pra dizer tudo que eu quero, às vezes. Mas nem isso me faz vir até o blog.
Talvez porque ele seja meio secreto, super discreto. E, algumas vezes, as coisas que eu quero escrever eu também preciso que sejam lidas por determinadas pessoas. Ao mesmo tempo que essa coragem não existe. Fato.