Pular para o conteúdo principal
cansada do marasmo da cidade, cansada de algumas pessoas que não dizem a verdade na cara.
cansada de ficar controlando meus sentimentos. eu sempre pulei de cabeça do penhasco e nunca me arrependi de ter me arrebentado...
eu sempre gostei de viver até o fim, viver intensamente tudo q eu me proporciono.
sou mais louca do que eu mesma imaginava. mesmo com toda essa cara de santa, essa cara de mocinha, burguesinha.
eu sou a mais sóbria, não utilizo entorpecentes pra viver minhas fantasias. minhas fantasias são reais, minhas alucinações são palpáveis.
eu tenho sede por loucura, loucura incomum, nada dessa vida junkie que qualquer um encontra em qualquer esquina.
eu ainda consigo espaço pra ter autenticidade nos meus atos. diferente da patota que anda toda junta.
não quero ser do grupinho, e nem preciso.
eu só preciso de poucas pessoas, algumas eu já tenho e não preciso que nada mude. algumas outras eu só queria que elas mudassem um pouquinho por si mesmas, não por mim. não façam nada nunca por mim, porque eu só faço por mim mesma.

eu comecei falando de amor, terminei falando de vida social. mas é aí que cabe a questão. para algumas pessoas, um influencia o outro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

eu gosto da sua companhia. gosto de você.
gosto do jeito como passa sua mão pelo meu cabelo.
eu gosto quando me morde. gosto das suas marcas em mim.
gosto do jeito como olha pra mim e me faz sentir especial.
eu gosto das dúvidas que você me deixa. gosto de me importar com você.
gosto do jeito que você me previne pra não me apaixonar.
eu gosto desse rítimo de aventuras discretas. gosto de não saber quando.
as vezes não gosto de alguma coisa, e não gosto de não conseguir falar a respeito.
eu gosto mais do que não gosto. não sou tão negativa quanto você pensa.
Sintético.
Tecendo esse sentimento que sai de dentro de mim.
É intenso e confuso.
É possessivo e controlador.
Tomando cuidado em cada passo, para que não saia do ponto padrão.
Nessa mania de perfeccionismo, existe perfeição no amor?

Vamos caminhando de mãos dadas. Se considerarmos o todo, é a gente que combina.
Encaixe único de quebra-cabeças. Eu topo e você topa.
Enquanto todo o resto caminha num rítimo mais lento, nós temos o nosso próprio. Não muito mais rápido. Eu no meu, você no seu e assim a gente se entende.
O tempo não importa, as vezes parece que ele é até curto de mais. Falta tempo. Falta sono. Falta descanso.